Global Project

Storytelling estratégico: um guia fácil e rápido da tendência do marketing digital

Contar e ouvir histórias é algo que nos cativa desde muito pequenos, é uma das coisas que nos faz humanos. Por isso, o storytelling estratégico vem colhendo diversos frutos para o marketing digital, e se mostra cada vez mais como tendência para revolucionar a fidelização de clientes.

Nós já tratamos disso antes aqui no nosso blog, mas acreditamos que esse é um dos assuntos que cabe sempre uma atualização ou novas abordagens.

Afinal, storytelling pode ser traduzido literalmente como “contar histórias”, e o marketing utiliza da narração dessas jornadas, crônicas e fábulas para desenvolver uma conexão com o consumidor desde o seu início.

Assim, transmitindo uma mensagem que passa a ser memorável quando associada à marca e ao produto, e criam sua reputação e imaginário do público.

Esse é o principal objetivo do storytelling estratégico: despertar reações emocionais nas pessoas para deixar marcas na memória dos potenciais clientes.

Por isso, se você quer aprender de uma vez por todas sobre os métodos de storytelling para conquistar seu público, você está no lugar certo! 

Neste texto, nós vamos mostrar como é fácil contar histórias com os métodos certos, e como isso pode refletir positivamente no seu negócio.

Storytelling: de onde aprendemos a contar histórias?

À primeira vista, parece até que nós nascemos sabendo como contar histórias, afinal, desde a infância nós pedimos para que nos contem histórias. E, com a nossa imaginação, passamos a contar as nossas próprias narrativas.

Por isso, apesar de ser óbvio para todos, é necessário reforçar: storytelling não é apenas a enumeração de fatos e acontecimentos.

Porque histórias precisam de uma escalada dinâmica, de eventos que geram conflitos e ditam o fluxo narrativo para um desfecho

Ou seja, com o storytelling estratégico, você deve buscar os elementos que despertam uma conexão emocional e aplicá-los no seu negócio, da mesma forma que as histórias usavam dessa conexão para cativar você quando era criança.

Porém, qual é a estrutura das histórias bem sucedidas, que marcam a vida de pessoas das mais diversas origens e faixas etárias? Joseph Campbell nos apresenta em seu livro, “O Herói de Mil Faces”, um estudo sobre o conceito de “jornada do herói”, ou Monomito.

A Jornada do Herói: dos mitos a J.R.R. Tolkien

Através de sua dissertação, Campbell nos mostra o padrão narrativo das histórias famosas que mais nos emocionaram ao longo dos séculos.

Nesse sentido, o autor mostra ao todo 17 etapas para a Jornada do Herói, que podemos agrupar em 3 seções essenciais: a partida, a iniciação e o retorno. 

Durante a partida, nós criamos empatia e identificação com a história contada, para que depois, ao longo da iniciação, tenhamos engajamento com as provações e os problemas do herói.

Enfim, na etapa de retorno, se um herói sai vitorioso, nós também conseguimos sentir a satisfação e o impacto positivo da história em nossa vida.

Apesar desse estudo ter como base os mitos clássicos, ele traz grandes conceitos que são muito explorados na cultura pop até hoje, como a jornada de Luke Skywalker em Star Wars, a de Frodo em O Senhor dos Anéis e de vários super heróis da Marvel.

Modelo “StoryBrand”, de Donald Miller

O modelo criado por Donald Miller, chamado de StoryBrand, possui 7 etapas para que as empresas possam contar histórias com clareza.

As três primeiras etapas têm relação com o primeiro conceito de Campbell, a partida. Você deve definir o personagem (no caso, o seu cliente) e introduzir o problema que ele possui.

Nas etapas seguintes, você apresenta o guia que pode ajudá-lo (no caso, sua marca) e que oferece um plano traçado ao personagem.

Por fim, o personagem-cliente precisa ser chamado para a ação, mostrando ao mesmo tempo o final trágico que ocorrerá se não tomar uma atitude e o final bem sucedido caso ele compreenda os benefícios que sua empresa oferece.

Modelo “Strategic Narrative”, de Andy Raskin

Andy Raskin define o storytelling como “a história na cabeça dos compradores” e, para a criação do seu modelo, analisou diversos casos reais de pitches de venda bem sucedidos.

Assim, com a análise dos padrões comuns dessas vendas, Raskin propôs 5 passos para o seu modelo de Strategic Narrative.

  1. Faça uma abertura com uma grande e expressiva mudança no mundo;
  2. Mostre quem irá ganhar com essa mudança e quem perde;
  3. Introduza o melhor cenário, de ser o ganhador em uma “Terra Prometida”;
  4. Apresente os seus recursos como os presentes mágicos que auxiliam a chegar na tão desejada “Terra Prometida”;
  5. Então, parta para a exposição argumentos e evidências que esta “fábula perfeita” pode ser uma realidade com a sua ajuda.

O storytelling estratégico e seus benefícios para o marketing

Construir a reputação de uma marca, em meio a constante transformação digital e o consumo cada vez mais acelerado de informações, não é fácil.

Para isso, o storytelling estratégico tem sido muito eficiente nesse sentido, despertando o interesse e a vontade de compra de potenciais clientes através de uma boa história.

Porém, uma boa história pode ser contada por qualquer um, basta ter um bom conhecimento dos modelos de narrativa que nos prendem desde a nossa infância e que são contadas e recontadas há séculos. 

Aqui, na Global Project, nós buscamos sempre te auxiliar a estar no domínio de todas as técnicas para cativar o seu público-alvo, para alcançar com você o sucesso do seu negócio.

Por que você não aproveita e marca um cafezinho com a gente? ☕ Estamos disponíveis para tirar todas as suas dúvidas e contar as melhores histórias sobre os potenciais do nosso marketing digital

E não se esqueça de acompanhar a gente aqui no blog e pelo Instagram!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − catorze =